PEDRO LIMA MENDES - 1o Tenente Aviador
* 30 JUNHO 1920 (Rio de Janeiro - RJ) - † 30 JULHO 1946 (Rio de Janeiro - RJ)

1º Ten.Av. Pedro Lima Mendes
 

Declarado Aspirante a Oficial Aviador em Agosto de 1943, o valor de suas qualidades profissionais e a pureza de suas virtudes militares fizeram com que fosse selecionado em sua turma e classificado como Instrutor de Vôo na própria Escola de Aeronáutica, onde, absolutamente cônscio da responsabilidade de sua missão, desvelou-se de maneira excepcional no preparo dos alunos que lhe foram confiados.

Em 1944 apresentou-se voluntariamente, com o mesmo ardor e entusiasmo que o caracterizavam nas lides estudantis, para fazer parte do 1o Grupo de Caça que, integrando as Forças Aéreas Aliadas, havia de nos céus da Itália, atestar a bravura e o alto preparo técnico dos aviadores brasileiros.

Em Dezembro de 1945, recebia a "Air Medal" – "por feitos meritórios durante a participação no vôo em operações contra o inimigo. A 16 de Dezembro de 1944, o Tenente Lima Mendes, voando através de um lençol de nuvens e encontrando visibilidade extremamente limitada, localizou o alvo. Com um preciso bombardeio, o Tenente Lima Mendes conseguiu impactos diretos nos trilhos, atingindoos no seu ponto estratégico. Outros membros da esquadrilha cortaram a via férrea em partes adicionais, e atingiram diretamente a ponte, destruindo um objetivo vital. A perseverança e a energia do Tenente Lima Mendes nessa missão, em que condições desfavoráveis de tempo foram encontradas, deu grande destaque a ele e às Forças Armadas das Nações Aliadas”.

Foi esta a primeira citação de guerra recebida pelo Aviador Lima Mendes.

Menos de seis meses depois recebia a "Distinguished Flying Cross", cuja citação assim diz: “Por atos extraordinários durante o vôo, como Piloto de um avião P-47, a 03 de Abril de 1945, o Tenente Lima Mendes voou como membro de uma formação de oito aviões para o bombardeio picado de uma ponte importante”. Depois da execução de acurados e preciosos bombardeios, de que resultaram doze impactos diretos na comunicação vital, o Tenente Lima Mendes pediu, e lhe foi concedida, permissão para fotografar os resultados do bombardeio. Isto foi feito num audacioso vôo a baixa altura, apesar das defesas inimigas, demonstrando superior habilidade de vôo e perícia".Bolacha do 2º/1º Gp.Av.Ca. 'desenho inspirado em relatos de Lima Mendes'

Este foi apenas um exemplo do excelente trabalho do Tenente Lima Mendes na obtenção de excelentes fotografias que ajudaram na constatação dos danos e forneceram ótimas informações ao Serviço de Informação Aliado. A sua coragem e o seu desprendido devotamento ao dever em face de grande perigo trazem grande mérito para ele e para as Forças Armadas das Nações Unidas. 

Além dessas medalhas conferidas pelos Estados Unidos, o Tenente Lima Mendes, conquistou a "Croix de Guerre", dada pela França, a “Cruz de Aviação de 3 Estrelas” e a “Medalha de Campanha da Itália”, ambas do Governo Brasileiro.

Noventa e cinco missões de guerra nos céus da Itália.

Uma série de arriscadas fotografias da comunicação vital do Passo de Brenner, incontáveis ações em companhia dos componentes do Grupo de Caça são a herança deixada por este aviador brasileiro, que numa breve e luminosa carreira, foi expressão das maiores virtudes militares, conhecimento da profissão, amor ao dever, coragem, sangue-frio, disciplina, espírito de comando e de camaradagem.

Regressando da Itália, após a vitória da Causa das Democracias continuou ele seu trabalho fecundo na qualidade de Instrutor do Estágio da Seleção para Piloto de Caça na Base Aérea de Santa Cruz. Acidentado em um vôo de instrução em 1946, o Capitão Pedro Lima Mendes morreu moço demais para que o conhecessem e viveu bastante demais para que ninguém possa desconhecer sua vitória. A brevidade de sua vida torna longa a sua memória, o seu heroísmo torna imorredouro o seu exemplo.

 

Pesquisa ABRA-PC

Nota:

Em sua homenagem, instituiu-se na Escola Preparatória de Cadetes do Ar, em 21 de maio de 1951, o Troféu Ten. Lima Mendes na disputa anual entre os esquadrões, competição essa que já ocorria desde 1949, com o objetivo de selecionar os atletas que representam a EPCAR nas competições com outros estabelecimentos.
Também como reconhecimento à figura desse grande líder da Força Aérea Brasileira, a 157ª turma da Escola de Especialistas de Aeronáutica, forjada e formada na EEAR em 14 de julho de 1972, ostenta, com orgulho, seu dignífico nome.

comentários adicionados ao texto original por contribuição do SO REF BMA Marcos Antonio Chaves - Esqd PAMPA 81/94.


 

 

Temos 61 visitantes e Nenhum membro online