JOÃO EDUARDO MAGALHÃES MOTTA ("MIKE-MIKE")
* 4 de outubro de 1921 - † 20 de janeiro de 2005

 

Major Magalhães Motta
Para seus contemporâneos, o codinome era "PIU-PIU": o que gostava de voar e viver nos ares. Sua caderneta de vôo apontava milhares de horas de vôo. Uma de suas marcas foi ter sido o único aviador militar que, à sua época, havia voado todos os tipos de aeronaves em serviço ativo na FAB.

Para as novas gerações, era o "MIKE MIKE": aviador cambalhoteiro, membro ativo da ACRO (Associação Brasileira de Acrobacia Aérea), e em pleno gozo de suas faculdades de aviador, apesar da idade avançada. Ultralevista das primeiras horas, fundador da ABRA-PC e ABRA-PAT e Jambock Honorário.

Sua maior "sensação de perda" na carreira foi não ter tido a oportunidade de participar do recompletamento do 1o Grupo de Caça, na Itália. Piloto de Caça formado pela Força Aérea do Exército Americano (USAAF) em 1945, foi Instrutor no estágio de Seleção de Pilotos de Caça (ESPC), Comandante de Esquadrilha, Comandante do 1o Gp.Av.Ca., e Comandante do 1o/14o G.Av. Chefiou a Comissão de Fiscalização e Recebimento (COMFIREM) dos aviões GLOSTER na Inglaterra e participou da implantação dessa máquina no 1o Gp.Av.Ca.

Sua vida foi totalmente (na verdadeira acepção da palavra) dedicada à aviação. E ao vôo. Para tanto, era obsessivo...

Minha geração o conheceu recém-chegado dos "States", onde estivera recebendo o 2o lote de P-47 adquirido pela FAB, no pós-guerra. Sua aparição, nos umbrais da Sala dos Pilotos do 2o/1o Gp.Av.Ca. em 1948, marcou o "Aspirantal": de uniforme branco "tinindo" , adentrou o Esquadrão, enfiou-se em um macacão de vôo, atracou um T-6 disponível no pátio, decolou, fez um sem-número de manobras acrobáticas, pousou. Voltou a envergar o uniforme branco e, só aí, foi apresentar-se ao Comando da Base Aérea de Santa Cruz.

No ESPC, além de Comandante da Esquadrilha de Copas era Instrutor de Navegação Aérea, Vôo por Instrumentos e Aerodinâmica, estes últimos tópicos os mais "misteriosos" da época... Tive o privilégio de voar na sua ala por muito tempo.

"Rato de livros", era possuidor da mais atualizada biblioteca particular de AVIAÇÃO que se tenha notícia.

Compondo uma brilhante equipe de Caçadores, participou na elaboração dos PIPE (Programa de Instrução e Padrão de Eficiência) para cômputo de Tiro e Bombardeio das Unidades de Caça.

Dominava completamente a língua inglesa, e disso se vangloriava, ostensivamente, angariando críticos gratuitos.

"MM" era um "expert" em tudo que fazia. Estava sempre na vanguarda dos conhecimentos técnicos, pois "sabia tudo de tudo": era como o descreviam...

Crítico mordaz, era implacável com os menos aquinhoados. Para alguns, mercê dessa sua singularidade, tornou-se alvo de críticas e teve algumas dificuldades de relacionamento que vieram a prejudicar seu trânsito na carreira.

"MM" sempre foi uma referência como aviador. Estudioso, bom conselheiro e possuidor de prodigiosa memória - que manteve até o fim da vida - sempre foi motivo de respeito e admiração.

Após um acidente em um pouso n'água com o Grumman (um bimotor denominado "BALUBA BEECH" do Esquadrão de Adestramento da Base Aérea de Santa Cruz, que era um anfíbio motorizado com dois motores de PT-19), sua saúde ficou minada e teve que se retirar do cenário de vôo. Nesta época, foi Membro da Comissão Militar Mista Brasil - Estados Unidos com sede na América, onde buscou tratamento. Quando retornou dessa Missão, solicitou passagem para a Reserva Remunerada, surpreendendo a todos.

Na Reserva, continuou altamente participativo e benemerente: Membro do Conselho do Instituto Histórico de Cultural da Aeronáutica (INCAER), sócio-fundador da ABRA-PC e da Associação Brasileira de Equipagens de Patrulha (ABRA-PAT), criou ainda o Prêmio PACAU, destinado a laurear as manifestações culturais dos Pilotos de Caça associados da ABRA-PC..

Autor de livros históricos de valor reconhecido, foi um grande batalhador para trazer o P-47 do MUSAL ao estado de vôo. Desgastou-se muito com esse esforço.

Como de esperar, era proprietário de uma aeronave bi-plano acrobática modelo PITTS matrícula PP-ZMM, na qual matava as saudades do "G" negativo e das manobras radicais praticadas na juventude. Era um verdadeiro "week-end flyer" (piloto de fim de semana).

Nos deixa rumo às estrelas para - certamente - entre elas brincar e continuar praticando o que mais lhe aprazia: VOAR!

  

Ao "MIKE MIKE" um carinhoso ADELPHI!

  

Maj.Brig.R.R. Lauro Ney Menezes
Piloto de Caça - Turma de 1948


NOTAS DO GERENTE DO SÍTIO:

(1) surtida = decolagem de aeronave com a finalidade executar missão contra o inimigo.

 

Temos 3 visitantes e Nenhum membro online