Brigadeiro do Ar HELIO LANGSCH KELLER

O cenário era o corredor do alojamento no 3 do Cassino de Oficiais da Base Aérea de Santa Cruz: o alojamento dos Aspirantes. A data era fevereiro de 1948. Os protagonistas eram os recém-apresentados Aspirantes da Turma de 1947. 

Ao centro da roda, uma figura ressaltava: grande porte, louro, nariz aquilino, bigode louro-russo, magro, longas pernas cruzadas fazendo surgir, de calça caqui uma enorme, bi.... (com bico grande), bem talhada e lustrada meia-bota típica do "cowboy" americano.1º Tenente Aviador Keller

A fala era mansa, doutrinária, bem pensada. O cigarro, (eterno companheiro), pendurado nos longos dedos fumaçava ...

Dirigia-se a cada um de nós chamando-nos de "AVIADOR" e, quando qualquer um dos ouvintes "desligava-se" na atenção ao "papo", movia rapidamente a perna sobreposta e "quicava" a canela do distraído futuro PACAU, usando o bico da bota texana como se fôra um "despertador"...

Essa figura longilínea, tipicamente alemã, imponente com seu porte e na sua fala era HELIO LANCSCH KELLER, Veterano do 1o Grupo de Caça na Itália - 95 missões, também conhecido entre o "Aspirantal" como KELLER, "the killer" ...

Essa figura nos era familiar, desde o retorno do 1o Grupo de Caça ocorrido no Campo dos Afonsos em 1945. Dos Pilotos do Grupo, alinhados, defronte do Corpo de Cadetes sobressaem duas figuras de grande porte: KELLER e LIMA MENDES.

HELIO KELLER conviveu com a Turma de Aspirantes de 1947, por vários anos e em diversas funções: de Comandante da Esquadrilha de Paus, Comandante do 3o/1o Gp.Av.Ca. e Comandante do 1º Grupo de Caça.

Filho do Geneneral Floriano Peixoto KELLER e "filho adotivo" de tia Candê (mãe de Lima Mendes), era um respeitado e respeitável Instrutor de Caça. Amava assuntos de tática de emprego.

Leitor incansável, fundou a "Pequena Biblioteca do Piloto de Caça (3o/1o Gp Av Ca)", na certeza de que os pilares da "excelência do piloto de combate", também passava pela cultura especializada.

Pioneiro na preocupação da existência dos "jet streams" na América do Sul (que ameaçavam os nossos deslocamentos em altitude) estimulou estudos "domésticos" para a comprovação do fenômeno e aplicá-los operacionalmente.

Figura que muito se fazia respeitar, a muito pousos concedia intimidades. Por essa razão, era "temido", embora sua verdadeira personalidade fosse a de um "gentleman" e profissional, de pouco riso e mansa índole, que não sabia contar uma anedota mas gostava de "gargalhar" das boas estórias que lhe contavam ...

Para seus subordinados, comandava com base em uma liderança sempre percebida: sua presença "marcava" o momento.

Aos seus comandados, buscando sua orientação e decisão, sempre os recebia com a frase que o caracterizou, como Comandante: "- em princípio NÃO, aviador. Vamos conversar ..."

Exerceu funções várias, na carreira. Foi um dos componentes do grupamento de Pilotos de Caça escolhidos para serem treinados na aeronave a reação P-80 nos USA (Perdigão, Meiras, Goulart e Keller). Comandou o 1o Grupo de Caça já equipado com F-8 Gloster Meteor.

Ao deixar a carreira, cursou Economia e foi incorporado à equipe da FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos - Min. Planejamento). Nessa função, assegurou o financiamento (fato inédito) para o desenvolvimento do Projeto EMBRAER T-27 (US$ 18 milhões), o que garantiu a produção dos protótipos, seus ensaios e as "cabeças de série" da produção.

Decisão muito mais de Aviador do que de economista!

Assim os Aspirantes Aviadores da Turma de 1947 viram o Veterano Helio Langsch Keller, que nos deixou em 1991.

  

Maj.Brig.R.R. lauro Ney Menezes
Piloto de Caça - Turma de 1948


 

Temos 60 visitantes e Nenhum membro online