Atualidades !!!

Atualidades !!!

Atualidades !!! Veja AQUI o ABRA-PC Notícias no125 na versão em PDF. Veja AQUI o ABRA-PC...

Agenda dos próximos eventos

Agenda dos próximos eventos

AGENDA DOS PRÓXIMOS EVENTOS:   Data / Hora Local Evento   25 jan...

GLOSTER-METEOR vai se APOSENTAR

GLOSTER-METEOR vai se APOSENTAR

GLOSTER-METEOR vai se APOSENTAR Em resposta ao artigo da Maria Boa das 1001 Noites...

XXIX Raduno dos Adelphis

XXIX Raduno dos Adelphis

XXIX Raduno dos Adelphis - 2017 Em uma confraternização que reuniu os integrantes do Esquadrão...

  • Atualidades !!!

    Atualidades !!!

  • Agenda dos próximos eventos

    Agenda dos próximos eventos

  • GLOSTER-METEOR vai se APOSENTAR

    GLOSTER-METEOR vai se APOSENTAR

  • XXIX Raduno dos Adelphis

    XXIX Raduno dos Adelphis

 

Esquadrão Centauro - 13 k Grupo de Defesa Aérea - 11k

ABRA-PC NOTÍCIAS
 

(Número 23 - Ano IV - Maio de 2000)

 

 

  

MENSAGEM DA DIRETORIA

No número impresso deste ABRA-PC Notícias, a Mensagem da Diretoria foi a publicação da lista de membros da Chapa eleita para a Diretoria no período 2000 / 2002. Consulte a opção DIRETORIA.


AGENDA

 

 

em tempo 11 de abril:

Aniversário do Grupo de Defesa Aérea (GDA)

24 de junho:

Dia do Reconhecimento Aéreo

29 de julho:

Aniversário do 1o/4o Grupo de Aviação

 

CABO AREINHA - 018B

Cb. Areinha - altitude de decisão - 12k  


CAÇADORES PROMOVIDOS

Além dos oficiais cuja promoção foi noticiada no nosso último número, destacamos ainda as seguintes promoções:

a Brigadeiro do Ar:

  • Jorge Godinho Barreto Nery
a Coronel:
  • Pedro Paulo Vaccani S. Filho,
  • Paulo Henrique Russo 
  • Jorge Kersul Filho
a Tenente-Coronel:
  • Alex Picchi Izmailov,
  •  Luiz Carlos Lebeis P. Filho,
  •  Ricardo Augusto Ribeiro de Souza,
  •  Rogério Luiz Veríssimo Cruz,
  •  Ricardo C. Gobbo,
  •  José Eduardo Portella Almeida

Congratulações, sucesso e

À la Chasse!  


BATE-BOLA

  

1) 4a Mesa Redonda da ABRA-PC:

Conforme programada, ocorreu no dia 26 Abr 2000, nas instalações do INCAER, a palestra proferida pelo Maj. Brig. (RR) Lauro Ney Menezes, nosso Presidente, sobre o tema "A Aviação de Caça e o desenvolvimento da Força Aérea". A ABRA-PC agradece aos associados que prestigiaram o evento com suas presenças.

2) Farnborough 2000:

Modificações na Delegação da ABRA-PC para a Feira Internacional de Farnborough: impedidos de participar do evento por motivos particulares, o Ten.Cel. (RR) Sebastião das Neves Moraes e o Cel (RR) Ernani Ferraz D'Almeida serão substituídos pelos seguintes Reservas: Cel (RR) Ernani Brizzola Jordão e TC (RR) Zander Nogueira Martins. Boa Viagem!

3) Posse da nova Diretoria da ABRA-PC:

Será realizada no dia 12 de Junho de 2000, nas instalações do INCAER, a posse da nova Diretoria da ABRA-PC para o período 2000 - 2002. O evento ocorrerá as 16:30 P, e o Presidente da Associação, Brig. Menezes, sentir-se-á muito honrado com a presença de todos os Caçadores.

 


PARA REFLETIR...

O último a nos deixar foi o Neiva...

Dos 49 pilotos voluntários que integraram o 1o Grupo de Aviação de Caça durante a 2a Guerra mundial, nove não regressaram. Cumpriram no campo de honra com o dever do soldado: deram a vida em defesa da soberania do Brasil.

Terminada a guerra na Europa, regressamos em Julho de 1945, sendo recebidos pelo Presidente Getúlio Vargas em cerimônia festiva realizada na antiga Escola de Aeronáutica, no Campo dos Afonsos. Na ocasião o Comandante - Ten. Cel. Nero Moura - apresentou os 40 pilotos de combate que restaram - ele inclusive - ao Presidente com a frase: "Presidente, missão cumprida!". Estas palavras foram incorporadas posteriormente à História da Força Aérea Brasileira, sendo hoje um marco da história guerreira dos Voluntários do Senta a Pua!

Passados 55 anos, a partir do dia 7 de Abril - data em que o Maj. Brig. do Ar Newton Neiva de Figueiredo faleceu - contamos com apenas 10 pilotos Veteranos da 2a Guerra Mundial. Os outros 30 ficaram no caminho, vítimas de acidentes, e a maioria pelo "atrito do tempo"(1).

Ten. Newton Neiva de Figueiredo - 10kIngressamos juntos no 2o ano da Escola da Aeronáutica dos Afonsos, logo após a criação do Ministério da Aeronáutica em 20 de Janeiro de 1941. Nossa turma era composta de jovens Cadetes da Escola Militar do Realengo, alguns Aspirantes da Escola Naval de Villegaignon(2), e cinco civis. O Neiva era um deles: Engenheiro Civil, diplomado pela Escola Politécnica do Rio de Janeiro.

Essa turma, heterogênea em sua origem, logo integrou-se em sã camaradagem, nascendo entre os Cadetes do Ar - civis e militares - um invejável "espírito de corpo" - que permanece até hoje na maioria dos remanescentes.

Neiva era filho do aviador naval Capitão Deodoro Neiva de Figueiredo - falecido em acidente de aviação em 1932, voando um moderno avião italiano Savoia-Marchetti, incorporado à Marinha no ano anterior. Quando perguntamos ao Neiva por que trocara de profissão, respondia-nos: "Foi a melhor maneira de homenagear meu pai".

Fez seu curso de humanidades na Inglaterra, e foi um homem extremamente educado. Ninguém na turma lembra de ouvi-lo praguejar. Um dos pontos fortes de sua personalidade era o de ser leal. Em 1948 Neiva era Capitão, e foi distinguido com a função de Ajudante de Ordens do Ministro Armando Trompowsky. Na ocasião minha segunda filha estava gravemente enferma. Levei-a, por solicitação médica, para ser internada em emergência no Hospital Central de Aeronáutica. O diretor negou a internação alegando que não havia quarto disponível. Não tendo para quem apelar, procurei o NEIVA no Gabinete do Ministro. Em menos de cinco minutos o caso foi resolvido. Estava com ele - também como Ajudante de Ordem - outro colega de turma, o Maurício José de Carvalho. Ambos se excederam em atenção e solidariedade. Pouco tempo depois nossa Verinha faleceu. Meu irmão de guerra passou a ser mais irmão após essa provação.

Nossa turma foi declarada oficial aviador em 30 de setembro de 1942, exatamente trinta dias após o Brasil declarar guerra à Alemanha e Itália. Em outubro de 1943, eu, em Salvador e ele, no Rio de Janeiro, fomos voluntários para servir no 1o Grupo de Aviação de Caça. Como nos tempos de Cadetes, juntamo-nos outra vez, agora como pilotos de caça participando efetivamente na 2a Guerra Mundial. Ali, no calor do combate, "em que cada dia era mais um dia conquistado à vida"(1), amadurecemos, tornando-nos amigos de verdade.

NEIVA voou na guerra como no 3 da Esquadrilha Azul comandada pelo Cap. Fortunato. Assim Fortunato se referiu a ele: "Creio que o NEIVA foi meu no 3 nas 56 Missões de Guerra que realizei na Itália. Naquela em que destruí o Ju-88 no campo de Ghedi, ele e o Goulart deram cobertura a mim e ao Santos durante o ataque, o que representou segurança, facilitando minha inteira liberdade de ação. Foi um piloto de caça combativo, eficiente e de boa cabeça nos momentos precisos". Goulart acrescentou que durante a "Ofensiva de Primavera" - 4 de abril a 2 de maio de 1945 -voando na ala do Neiva: "Estava à cata de objetivos de oportunidade quando ele descobriu uma garagem camuflada, contendo algumas dezenas de caminhões. Iniciando o ataque, o céu ficou colorido com os flocos brancos do 20 mm, o cinzento do 40 mm, e as traçantes das metralhadoras. Enquanto íamos incendiando os caminhões, NEIVA chamou o "Cooler" - aquele radar alerta localizado em um dos cumes do Apeninos - pedindo que mandassem mais esquadrilhas para o local. E chegaram várias, entre elas uma da "Vermelha" e outra da "Verde" do 1o Grupo. Pelos danos causados aos alemães e pela iniciativa em pedir reforço ao "Cooler", NEIVA recebeu mais uma citação da Air Medal, passando a ter seu terceiro "cluster" na Medalha do Ar americana.

Mapa do norte da Itália - 51kA missão foi tão importante, que o Comandante da 12a Força Aerotática enviou uma mensagem elogiosa ao desempenho do nosso Grupo". Ainda durante a "Ofensiva de Primavera", voei, como reserva, na ala do NEIVA, substituindo o Prates que sofrera uma pane no motor antes de decolar. Após o bombardeio picado no Viaduto de Lávis (Passo de Brenner), ele escolheu o eixo rodo-ferroviário Verona, Pádua, Cremona, Piacenza, Parma para efetuar o ataque rasante.

Em Cremona encontramos cinco caminhões estacionados estrategicamente em algumas ruas estreitas da pequena e centenária cidade. Iniciado o ataque, nossos "Thunderbolts" foram recebidos por intenso FLAK(3) alemão. Mergulhamos dentro dos flocos brancos do 20 mm e uma forte barragem de traçantes vermelhas das metralhadoras. Habituado com esse tipo de ataque aumentei minha cautela diante da reação anti-aérea encontrada. Na verdade os alemães exorbitaram no número de bocas de fogo apontadas para nós. Após meu primeiro passe e do alto grau de dificuldade que tive para enquadrar o alvo, achei que o risco de trocar o meu D-4(4)por um caminhão não valia. Avisei ao NEIVA que a barragem do FLAK era intensa, sugerindo que ele abandonasse a área. Ganhei altura dando-lhe cobertura enquanto ele prosseguiu no ataque. O britânico NEIVA respondeu-me com um simples "OK" e continuou como se estivesse fazendo um treinamento de tiro terrestre em um estande de comum. Realizou além do primeiro passe, mais seis. Destruiu somente três caminhões e somente parou quando foi atingido por uma granada de 20 mm.

Meu comentário ao regressar a Pisa foi esse: "Se há alguém com coragem e disposição no Grupo para enfrentar o FLAK alemão é só falar com o NEIVA". Voou um total de 86 Missões de Guerra, tendo sido condecorado com a Air Medal com três "clusters"- corresponde a 4 medalhas - a D.F.C.- Distinguished Flying Cross - ambas americanas, a La Croix de Guerre avec Palme, francesa e mais de uma dezena de outras nacionais, inclusive a Cruz de Aviação Fita A, Cruz de Aviação Fita B, Medalha de Campanha da Itália e outras. Entre seus companheiros - veteranos da guerra e os da FAB, especificamente os pilotos de caça - NEIVA representou o perfil da dignidade e do patriotismo do soldado brasileiro.

Medalhas do Ten. Neiva - 12k(5)

Deixou saudade entre os amigos e um claro enorme dentro de sua família. Sua esposa D. Maria das Dores P. Neiva de Figueiredo - nossa amiga Dodô - e os filhos Nelson, Nely, meu particular amigo Ricardo e Roberto, recebam dos Jambocks - apoio e pilotos - do 1o Grupo de Caça, nossa solidariedade na dor de perdê-lo e na saudade que deixou. O Maj. Brig. do Ar Newton Neiva de Figueiredo nasceu em São Paulo em 07/04/1918 e faleceu também em São Paulo no dia 07/04/2000.

Notas do Gerente do Sítio:
(1) Frases extraídas do livro "Missão de Guerra" do veterano Luiz Felipe Perdigão M. Fonseca
(2) Ilha de Villegaignon, local onde está a nossa Escola Naval no Rio de Janeiro.
(3) Flak = "Flieger-Abwehr-Kanone" Artilharia Anti-Aérea.
(4) Cada piloto "possuia" um avião designado pela letra da sua esquadrilha (D) e o seu número (4).
(5) Medalhas, da esquerda para a direita:
  • - Cruz de Aviação com fita "A" (Brasil)
  • - Cruz de Aviação com fita "B" (Brasil)
  • - "La croix de Guerre avec Palme" - Cruz de Guerra com Palma (França)
  • - "Distinguished Flying Cross" - Cruz de Distinção em Vôo (Estados Unidos)
  • - "Air Medal" - Medalha do Ar (Estados Unidos)
  • - Campanha da Itália (Brasil)

  

Rui Moreira Lima
Jambock Veterano do 1o Gp Av Ca