Pacau 11k Seta 8k

  

 

ABRA-PC NOTÍCIAS

(Número 88 - Ano XVI - set/out de 2011)





 

MENSAGEM DA DIRETORIA

Nobres caçadores

A vida é uma corrida de revezamento, onde uma geração mais antiga passa para uma mais moderna o bastão da experiência, na esperança de que esta possa produzir, sem esquecer o passado, um mundo atualizado melhor e mais justo.

No nosso caso, acabamos de receber o bastão em voo reto e nivelado, cruzeiro de máximo alcance, tempo “cavok”, com todas as nuvens de tempestades atrás de nós. Quem nos passou batalhou muito para trazer a formação até este ponto, a tudo enfrentou, até mesmo o desconhecido; cabe a nós honrar seu trabalho e dedicação e continuar rumo ao mesmo objetivo inicialmente traçado, sem desvios ou contemporizações. Qualquer formação é tão mais forte quanto mais forte sejam seus componentes. No nosso caso, com líderes e alas da qualidade da nossa Associação e com a participação de todos, não temos dúvida de que o objetivo lá atrás traçado, quando nosso patrono em plena guerra questionou o que seria feito com a experiência acumulada quando retornassem ao Brasil, será atingido. Honra a quem nos precedeu, glória a quem nos seguirá!

ABRAPC
cheque-rádio!!!


ENDEREÇO

Praça Marechal Âncora 15-A (Prédio do INCAER)
Castelo - Rio de Janeiro - RJ
CEP 20021-200
Tel (21) 8182-6924 (Celular do Secretário Mesquita)
E-mail:
popopo#abra-pc.com.br

 (Nota do gerente do Sítio: não colocamos o símbolo "arroba" para evitar que "robôs eletrônicos" descubram o endereço para enviar "spams")

Nosso expediente de secretaria é nas segundas e quartas-feiras das 9:00h às 12:00h.
Nos demais horários deixe o seu recado "na eletrônica", ou transmita um fax pelo telefone 21-2262-4304.


 

CB. AREINHA - 76B

A AJUDA



AGENDA

23 de outubro

Dia do Aviador ( 1o voo do "mais pesado do que o ar" - 1906)

24 de outubro

Aniversário da Base Aérea de Santa Cruz ( BASC)

07 de novembro

Aniversário do 1o/16o G.Av. (ADELPHI)

10 de outubro

Aniversário do 1o/10o G.Av. (POKER)

18 de dezembro

Aniversário do 1o Gp.Av.Ca. (JAMBOCK)


Às Unidades aniversariantes os votos de ventos sempre favoráveis na realização de todas as missões. Aos nossos veteranos de guerra, heróis da Força Aérea e heróis do Brasil, o nosso preito de respeito e admiração..

 


 PAPO-RÁDIO

1 - MENSAGEM DO PRIMEIRO PRESIDENTE FUNDADOR DA ABRA-PC :

COMPANHEIROS PILOTOS DE CAÇA
Inspirado pelos exemplos de NERO MOURA, estimulado por JOÃO EDUARDO MAGALHÃES-MOTTA e na posição de devedor eterno para com a Aviação de Caça (que nos plasmou), há dezesseis anos fundamos a ABRA-PC. E, por todo esse tempo, à frente dessa grandiosa formatura, composta de 1497 irmãos na mesma fé, a lideramos. Voando “asa com asa e motor na empenagem”, escolhemos aproar para uma inquestionável eternização e – como uma graça dadivosa – agregamos à nossa Associação os nossos LÍDERES, nossos MESTRES, nossos MITOS: os Veteranos de Guerra hoje conosco presentes. Garantes de nossa proficiência, ELES se propuseram a voar conosco, em nossa ala, em busca desse fulgurante horizonte que só os verdadeiros guerreiros se propõem alcançar. ELES nos formaram e, cumprindo seu respeitado ritual, nos treinaram e, no momento julgado correto, nos permitiram assumir o Comando, na certezado bem-feito!

De público lhes digo: missão cumprida! Estamos prontos para cumprir missão:

QUALQUER MISSÃO!
CAÇADORES DO BRASIL! !

  

2 - MENSAGEM DE UM CAÇADOR:

(MENSAGEM ELETRÔNICA RECEBIDA - 1)

Tomei a liberdade de mandar essa mensagem para que demonstrasse o quanto a Caça nos prepara, não só para o voo, mas para a vida. Por motivos familiares e profissionais decidi tentar a vida na aviação civil. Hoje estou na TAM, juntamente com alguns amigos caçadores.

Mas a alma de "Fighter Pilot" me acompanha durante todos os dias que me ponho dentro de uma cabine, seja no avião, seja no simulador. Lembro de todos os duplos que tomei no Joker, de como navegar, de como meu Instrutor à época, Cap Fleury, me cobrava a navegação rádio, enfim, o "modus operandi" da Caça guia meus passos agora. Hoje voando um avião totalmente automatizado sei o quanto é importante o voo rudimentar que me ensinaram. Saber o básico é primordial para voar a máquina avançada. Isso a Caça me ensinou, meus instrutores me ensinaram!

Saí da FAB, mas não da Caça. Serei sempre um Caçador! Obrigado a todos meus instrutores caçadores, obrigado meus líderes, obrigado meus alas, obrigado meus alunos, obrigado “homens da graxa”. Aprendi com todos, aprendi com a Caça.

Marcelo da Conceição Lebeis Pires- Cap.Av.
Piloto de Caça - Turma de 2000
"hoje Co-Piloto Marcelo Lebeis (TAM)"

 

3 - LANÇAMENTO DE LIVRO:

(MENSAGEM ELETRÔNICA RECEBIDA - 2)

Cel.CABRAL autografando 'Memórias de um Piloto de Provas'No dia 03 de agosto foi realizado o lançamento e a noite de autógrafos do livro “No Céu, na Terra e no Mar – Memórias de um Piloto de Provas”, de autoria do Cel. Av. Ref. Luiz Fernando Cabral, Piloto de Caça da Turma de 1955.

O evento ocorreu nas instalações do Hotel de Trânsito do DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial), em São José dos Campos, tendo sido abrilhantado pela comunidade de pilotos e engenheiros do Vale do Paraíba.

Da mesma forma, no dia 28 de setembro, nas dependências do INCAER, foi feita uma tarde de autógrafos com o lançamento, no Rio de Janeiro, do citado livro.

Ao Cel. Cabral oscumprimentos da ABRA-PC.

 

4 - CERIMÔNIA EM HOMENAGEM AO 1o Gp.Av.Ca. NA ITÁLIA :

(MENSAGEM ELETRÔNICA RECEBIDA - 3)

Do Adido de Defesa Aeronáutico na Itália.
Ao Exmo Sr Presidente da ABRA-PC:

1. Informo a V Exa que, a Adidância de Defesa e Aeronáutica na Itália este ano novamente coordenará com as comunidades locais, cerimônias em homenagem à participação do 1o Grupo de Aviação de Caça na Segunda Guerra Mundial. Tais solenidades visam, principalmente, divulgar e relembrar aos cidadãos brasileiros e italianos que também a Força Aérea Brasileira lutou e perdeu vidas na Campanha de Libertação da Itália.

Monumento ao Ten. John Richardson CORDEIRO da Silva - Itália2. Tais solenidades ocorrerão segundo a seguinte programação:

1) 31 de outubro de 2011

– Comemoração em homenagem ao início das operações aéreas do 1o Grupo de Aviação de Caça na Itália, junto à placa alusiva à participação brasileira, localizada no portão de entrada da hoje desativada Base Aérea de Tarquinia (evento coordenado pela comunidade local).

2) 02 de novembro de 2011

 - Cerimônia ecumênica militar junto ao Monumento Votivo localizado no Cemitério Brasileiro em Pistoia, na celebração do dia de Finados, homenageando os brasileiros mortos em combate na Itália (evento coordenado pela Embaixada do Brasil na Itália).

3) 06 de novembro de 2011

– Cerimônia em homenagem ao 1o Ten. Av. John RichardsonCordeiro e Silva, primeiro piloto brasileiro falecido em combate, junto ao monumento erigido em sua homenagem na localidade de Livergnano, próximo ao local da queda da sua aeronave em 1944 (evento coordenado pela comunidade local).

Respeitosamente:

Sérgio Roberto de ALMEIDA - Coronel Aviador
Adido de Defesa e Aeronáutico na Itália

Ao Coronel Almeida os agradecimentos da ABRA-PC pela iniciativa em manter viva a história de nossos heróis veteranos na Itália.

  

5 - ORDEM DA JARRETEIRA :
(Origem "Wikipédia" a enciclopédia livre)

A Mais Nobre Ordem da Jarreteira, também conhecida como Ordem da Jarreteira, é uma ordem de cavalaria britânica, a mais antiga da Inglaterra e do sistema de honras britânico. Sua tradução correta seria antes Ordem da Liga (em inglês Order of the Garter), tal como em português tem o mesmo significado. Só assim se explica que esta ordem militar, criada por Eduardo III de Inglaterra com o espírito medieval de então e baseada nos nobres ideais da demanda ao santo Graal e da corte do Rei Artur, seja vista como a mais importante comenda do sistema honorífico do Reino Unido, desde essa altura até os dias de hoje.

Diz a lenda associada à criação desta ordem que durante um banquete festivo em Calais (onde os ingleses celebravam a conquista da cidade), o Rei Eduardo III pediu à condessa de Salisbúria que o acompanhasse numa dança. A contragosto, esta aceitou o pedido irrecusável do rei, e começaram a dançar à frente de toda a corte e da própria rainha. A meio da dança, a condessa deixou cair a sua jarreteira (liga). O Rei apanhou-a do chão e, ao devolvê-la, reparou que a sala se encheu de sorrisos e murmúrios.

T.Cel.Berthier-Comandante de EspadasIrado, exclamou: “Honni soit qui mal y pense”. Eduardo III pronunciou a frase que se tornaria mais tarde o lema da Ordem (Maldito seja quem pensar mal).

Os membros da ordem são limitados ao Soberano, ao Príncipe de Gales e não mais que vinte e quatro membros ou companheiros. Os pedidos também incluem cavaleiros e damas extranumerários (por exemplo, membros da família real e monarcas estrangeiros). Conceder a honra tem sido descrito como uma das poucas prerrogativas executivas remanescentes do monarca de caráter verdadeiramente pessoal.

Tudo isso para explicar a razão das fitinhas presas na bolacha de comandante de esquadrilha do Ten. Cel. Berthier, se é que alguém percebeu! Hoje não as usamos mais, mas houve um tempo, na caça, em que apenas os comandantes de esquadrilha e de elemento, escolhidos pel Conselho do Esquadrão, podiam exercer essa função e apenas esses podiam ostentar as fitas, no mais puro espírito da Ordem da Jarreteira.

“Firulas” do passado, num tempo em que exteriorizar competência e profissionalismo era separar o joio do trigo. Hoje as fitas não mais existem, eventualmente as substituímos por estrelas; talvez, também, não haja mais a necessidade de afirmar externamente nossa competência.

Mas importante destacar que o espírito permanece o mesmo, iniciado lá atrás com nossos veteranos de guerra e cultuado nos dias de hoje pelos jovens caçadores formados, e enquanto o mantivermos intacto haveremos de ser, sempre, a elite da elite de qualquer Força Aérea!

  

6 - PRÊMIO PACAU MAGALHÃES-MOTTA :

Brasão do Prêmio Pacau Magalhães-MottaNobres caçadores, convidamos a todos a participarem do PPMM deste ano, remetendo à ABRA-PC trabalhos que possam contribuir para aprimoramento da aviação de caça brasileira.

Vamos lá, deixem de preguiça, peguem seus computadores, "notebooks", "tablets" ou o que quer que seja, e digitem algumas linhas que possam servir de meditação a todos aqueles que amam voar um avião de caça e sentir-se dono do espaço aéreo.

Ano passado não tivemos qualquer contribuição, o que nos entristeceu todos, em especial ao criador do prêmio, Brigadeiro Magalhães Motta, doador voluntário de R$ 50.000,00 para financiá-lo. As regras de participação estão no site da Associação.

Aguardamos suas contribuições!

  

 

7 - ATUALIZAÇÃO DE ENDEREÇOS ELETRÔNICOS :

 Solicitamos aos nossos associados que atualizem seus endereços eletrônicos junto a ABRA-PC.

Temos incentivado, cada vez mais, o uso de ferramentas de comunicação da nova mídia, com o propósito de agilizar nosso contato com todos, e apenas aqueles que estiverem com seus endereços atualizados poderão receber essas informações. Não custa nada, apenas uma mensagem eletrônica para nós e será o suficiente.

Antecipadamente, nossos agradecimentos.

  

 

8 - DEMONSTRATIVO FINANCEIRO RESUMIDO :

      SALDOS EM 30 DE SETEMBRO DE 2011

Conta Corrente (Banco Real)

R$ 11.61241

Fundos ABRA-PC (DI-Supremo)

R$ 17.70510

Sub-total recursos ABRA-PC

R$ 29.31751

      FUNDOS ESPECIAIS (*)

Desenvolv. Cult. da Av. de Caça

R$ 4.99339

Prêmio Pacau

R$ 57.79488

      MÉDIAS DE RECEITAS DE 2011

Média anual

R$ 10.32162

      MÉDIAS DE DESPESAS DE 2011

Custeio

R$ 4.52322

Eventuais

R$ 17.74546

(*) A origem desses recursos deve-se à doação de cem mil reais, feita pelo Brig. Magalhães-Motta à Associação Brasileira de Pilotos de Caça.

 


PARA REFLETIR

SER PILOTO

 

 

 

Por Francis Gary Powers, famoso piloto
da USAF, derrubado na Rússia em 1960 



"Existem dois tipos de pilotos, aqueles que levam em seu sangue a necessidade de voar, pelas mesmas razões que precisam dormir, comer ou respirar, e aqueles que o fazem apenas pela tarefa, por obrigação ou por não ter outra alternativa. Esses últimos normalmente chegam à profissão por acaso ou outra forma não planejada.

Os primeiros frequentemente tem a inquietude desde pequenos, quando viam nos aviões algo notável, místico, sublime, talvez muitos destes começaram desde pequenos a construir modelos de aeroplanos, ou acumulando fotos e pôsteres ou qualquer outra coleção com motivos aéreos. Conheciam as especificações e dados de qualquer avião com riqueza de detalhes. Quando crescem e têm a sorte de realizar seu sonho de criança, desfrutam plenamente do seu trabalho e sentem-se os homens mais sortudos do planeta.

Os pilotos são uma classe à parte de humanos, eles abandonam todo o mundano para purificar seu espírito no céu, e somente voltam à terra depois de receber a comunicação do infinito. Esse grupo conhece a diferença entre voar para sobreviver e sobreviver para voar. A Aviação os ensina orgulho como também humildade e apesar de que voar é uma magia, eles caem voluntariamente vítimas de seu feitiço. Quando estão na terra, durante dias ensolarados, observam continuamente o firmamento com saudades de estar ali, durante dias chuvosos e nublados reveem os procedimentos de voo em suas mentes.

O piloto sabe que o melhor simulador de voo está em si mesmo, em sua imaginação, em sua atitude, porque a mente do piloto está sempre acessível a elementos novos e compreende que para voar é preciso acreditar no desconhecido. No mais, os pilotos são homens lógicos, calmos e disciplinados, que pela necessidade precisam pensar claramente, de outra maneira se arriscam a perder violentamente a vida ao sentar-se na cabine. O verdadeiro piloto não amarra seu corpo ao avião, pelo contrário, através do arnês ele amarra o avião em suas costas, em todo seu corpo. Os comandos da aeronave passam a ser uma extensão de sua personalidade, essa simples ação une o homem ao aparelho na simetria de uma só entidade, numa mistura única e indecifrável, cada vibração, cada som, cada cheiro tem sentido e o piloto os interpreta apropriadamente.

Não há dúvida de que o motor é o coração do avião, mas o piloto é a alma que o governa. Os pilotos não veem seus objetos de afeição como máquinas, ao contrário, são formas vivas que respiram e possuem diferentes personalidades, em alguns momentos falam e até riem com eles. Esses seduzidos mortais percebem os aviões com uma beleza incondicional, porque nada estimula mais os sentidos de um Aviador que a forma esquisita de uma aeronave, não podem evitar, estão infectados pelo feitiço, e viverão o resto de suas vidas contemplados pela magia de sua beleza. Para o piloto perceber um avião é como encontrar um familiar perdido, uma e outra vez. Quando o destino trágico mostra sua inexorável presença e vidas se perdem em acidentes, a essência do piloto se entristece pelo acontecido, mas não poderá evitar, talvez por infinitesimal segundo, que a sombra de seu pensamento volte aos aparelhos, e um golpe de afeição pelo amigo caído seja inevitável.

Para o Aviador o som dos pistões é uma bela sinfonia, o som de um jato a síntese da força. Aviões perigosos não existem, somente não são pilotados adequadamente, para eles os aeroportos são altares ao talento humano. Ali se realizam diariamente os desafios e os milagres frente às energias da natureza e a força da gravidade. São lugares sagrados, onde o ritual de voar se exalta e se glorifica, de onde caminhos e fronteiras se encontram e o mundo fica pequeno, nos que se chora de alegria e também de tristeza, onde nascem esperanças e sucumbem ideais, onde o som do silêncio habita as lembranças.

No ar o piloto está em seu elemento, em sua casa, ao que pertence, é ali que ele se liberta da escravidão que o sujeita na terra. É um dom de Deus que ele aceita com respeito e alegria. Este privilégio lhe permite escalar as prodigiosas montanhas do espaço, e alcançar dimensões no firmamento que outros mortais não alcançarão. Este presente permite apreciar a perfeição do Criador e o absurdamente pequeno humano. Permite-lhe igualmente reconhecer que ninguém há visto a montanha dali, como sua sombra do céu. Distinguir uma pessoa que deu sua alma à Aviação é fácil: em meio à multidão, quando um avião passa seu olhar volta-se imediatamente ao firmamento buscando-o e não descansará até que o veja. Não importa quantas vezes haja visto o mesmo avião, é preciso vê-lo novamente, é algo inconsciente e espontâneo. Os pilotos talvez possam explorar os elementos físicos do voo, mas descrever o que ocasiona sua existência é impossível porque explicar a magia de voar está além das palavras".



Gentilmente encaminhado pelo
Cel Demazi E.O. – Piloto de Caça – Turma 1983 e pelo
Maj Velasco F.C. – Piloto de Caça – Turma de 1991


 

 

Temos 20 visitantes e Nenhum membro online