Esquadrão Adelphi 12k Esquadrão Pacau 11k


ABRA-PC NOTÍCIAS

(Número 89 - Ano XVI - nov/dez de 2011)





MENSAGEM DA DIRETORIA

Feliz Natal & Próspero 2012





ENDEREÇO

 

Praça Marechal Âncora 15-A (Prédio do INCAER)
Castelo - Rio de Janeiro - RJ
CEP 20021-200
Tel (21) 8182-6924 (Celular do Secretário Mesquita)
E-mail:
popopo#abra-pc.com.br

 (Nota do gerente do Sítio: não colocamos o símbolo "arroba" para evitar que "robôs eletrônicos" descubram o endereço para enviar "spams")

Nosso expediente de secretaria é nas segundas e quartas-feiras das 9:00h às 12:00h.
Nos demais horários deixe o seu recado "na eletrônica", ou transmita um fax pelo telefone 21-2262-4304.

 



CB. AREINHA - 77B

'STEALTH' JÁ ERA !

 


AGENDA

 

18 de dezembro

Aniversário do 1o Gp.Av.Ca. (Jambock - SC - RJ)

11 de fevereiro

Aniversário do 3o/3o G.Av. (FLECHA - CG - MS)


Às Unidades aniversariantes os votos de ventos sempre favoráveis na realização de todas as missões.

Senta a Púa !


PAPO-RÁDIO

1 - CANCIONEIRO DA CAÇA :
(mensagem eletrônica recebida )

Em relação ao “Cancioneiro da Caça”, recentemente editado e distribuído a todos os associados, recebemos a seguinte mensagem eletrônica que diz respeito à omissão de uma canção que integra este nosso tão vasto repertório e que, de alguma forma, retrata um pouco da história da nossa aviação de caça.

From: Luis Felipe da Silveira Eliseu
Sent: Thursday, November 03, 2011 7:44 PM
To: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Cc: Gilson Sobral
Subject: Cancioneiro da Caça 2011 (A/C Cel Duncan)

Prezados senhores membros da Diretoria da ABRA-PC.

Venho, inicialmente, parabenizá-los por mais uma nobre iniciativa, qual seja a de compilar novamente este rol de paródias, incluindo os mais recentes “sucessos” entoados por nós, caçadores de gerações mais novas. Contudo, em meu nome e do Maj Sobral, ambos caçadores de 1998, registro a falta que sentimos de uma “composição” de nossa autoria, que já havia sido incluída nas revisões a serem feitas no Cancioneiro e que, por algum motivo que desconheço, não foi publicada no novo compêndio.

Trata-se de uma paródia de sucesso de Vanessa da Mata, que estreou na Festa da Caça em 2007 e retrata, com muito bom humor, o momento em que nós, Mestres-Pacaus, recebemos algumas aeronaves Impala, em péssimas condições, quando esperávamos receber os F-5M em Natal. O nome dela é “BOV... não abre mais”, em alusão ao problema crônico de abertura das "Blow Off Valves" dos motores Viper, e, além de ter sido muito bem recebida, continua sendo entoada nas Ximbocas pela Caça afora. Encontra-se anexa ao e-mail. Sei que não será viável a inclusão imediata da mesma, uma vez que o livro já foi publicado, mas gostaria que fosse prestigiada numa próxima edição e que fosse publicada no próximo periódico de notícias da ABRAPC. Por favor, analisem esta demanda com o carinho que acredito ser devido.

Atenciosamente,

Luis Felipe – Maj Av
Piloto de Caça – Turma de 1998



Porno Cancioneiro - capa


É só isso
Não tem mais jeito
Acabou!
Boa sorte

Não tem o que fazer
São só falácias
E o F-5
Não chegará…

Tudo que a FAE me dá
É demais
É pesado
Haja gás!

Tudo que tem pra mim
É o Impala
Lata velha
Zero bala

BOV...(BOV)...
BOV...(BOV)...
BOV...não abre mais


That’s it
There’s no way
It’s over!
Good luck

There’s nothing left to do
Only lies
And Tiger
Won’t come anymore...

Everything FAE gives to me
It’s too much
And heavy

All that you’ve got for me
It’s Impala
That old trunk
Shinny new

BOV...(BOV)...
BOV...(BOV)...
BOV...open no more

Cancioneiro - capa



Neste particular, incentivamos a todos associados que saibam de alguma canção que fez parte da nossa história e não foi lembrada no Cancioneiro elaborado, que nos envie uma correção acrescida do contexto histórico em que a canção foi composta e cantada.

  

2 - CANCIONEIRO DA CAÇA (IDEM):
(mensagem eletrônica recebida )

A gradeço a gentileza de me enviarem um exemplar do Cancioneiro.

Solicito, entretanto, fazer duas pequenas correções na página 55, ONOMÁSTICA:
- o meu nome final – Cavalcanti – é com "i", e não "e";
- sou Asp Av de 1947 e não 1951.

Mais uma vez, grato.

Ary C. B. Cavalcanti – Cel Av Ref
Piloto de Caça – Turma de 1948

   

3 - ADIDO AERONÁUTICO NA ITÁLIA:
(mensagem eletrônica recebida )

Aermacchi Pilot ClubPrezados Diretores da ABRA-PC,

Informo que fui procurado pelo General da Reserva Italiano Giancarlo Naldi, responsável pelo http://www.aermacchipilotclub.it/ que é o site do chamado Clube da Aermacchi, que busca reunir os pilotos que tiveram a oportunidade de voar aeronaves daquela fábrica, no nosso caso, mais especificamente o Xavante.

A associação publica também uma revista (amv - aermacchi world). Quando da desativação do nosso MB-326 eles fizeram uma bela reportagem de capa (anexo) com fotos que eu forneci. Eu encaminhei uma cópia da revista ao 1o/4o G.Av. que colocou a mesma em seu histórico.

A ideia do Gen Naldi é conseguir contato com outras associações de pilotos de caça para troca de informações reunidas em torno da paixão comum. Ele pede que, se possível, a ABRA-PC faça contato com ele para estreitar os laços de amizade que já unem fortemente os aviadores brasileiros e italianos, por inúmeras razões.

O "email" do Gen Naldi é "info(arroba)wingconsulting.it" e o contato pode ser em inglês. Permaneço à disposição para qualquer esclarecimento.

Respeitosamente:

 Sérgio Roberto de ALMEIDA - Coronel Aviador
Adido de Defesa e Aeronáutico na Itália Col. Pil. Sergio Roberto de ALMEIDA
"Addetto per la Difesa e Aeronautico del Brasile"

Nesse sentido, a Associação, por meio do Cel. Biasus, fez contato com o citado Clube da Aermacchi cuja resposta segue abaixo:

Ultimo voo AT-26 no 2º/5º GAv - esquadrilha

Ultimo voo AT-26 no 2º/5º GAv - elemento
Dear Col. Ricieri Biasus,

 I’ve been very happy to receive your letter because is the answer I would like to receive from all the pilot’s associations around the world with experiences on Macchi planes. I will discuss with our president about our relationship and I will send you "asap" (as soon as possible) some proposals (For exemple: it’s my personal opinion we could organize a reception in one of your airports to give to your pilots the possibility to share our goals and to join the club). Concerning the book “Senta a Pua” I’ve received few days ago and already read and appreciated the italian translation. Hoping to meet you in person, I greet you cordially

Giancarlo Naldi

Informamos aos nossos associados que a ABRA-PC continuará mantendo contato com o citado Clube e incentiva o estreitamento de relações com todas as instituições que tenham por objetivo a preservação da história e das tradições da aviação de caça, em especial, a aviação de caça brasileira.

  

 

4 - HISTÓRICO DAS UNIDADES DE CAÇA:

Como já foi comentado certa vez, as gerações mais antigas, durante a passagem de bastão para as gerações mais jovens, o fazem na esperança que essa nova geração possa produzir um mundo atualizado, melhor e mais justo. Porém, entre vírgulas, sobressai sempre a importância de preservar nosso passado. Dentro desse conceito de preservar o passado temos recebido de alguns caçadores, os reclames de não conseguirem encontrar velhas fotos e/ou dados referentes à sua passagem pela unidade aérea. Objetivando contornar esse desconforto, e dentro da tônica de preservação de nossa história e nossas tradições, roga-se às nossas novas Unidades de Caça, que valorizem o seu Histórico e às mais antigas tentem resgatar o possível, que por ventura, esteja perdido.

A tecnologia poderá ser usada para digitalizar fotos, documentos e artigos. Essas cópias informatizadas evitarão os prejuízos advindos das perdas de documentos importantes e facilitarão, futuramente, o resgate, por parte dos interessados, da sua importante contribuição à Unidade. Para a ABRA-PC, o nosso Histórico é muito importante, já dizia Mestre Menezes:

- A Aviação de Caça vive dos seus feitos e a nossa História, sem sombra de dúvidas, é e sempre será o alimento do nosso futuro.

  

5 - HISTÓRICO DAS UNIDADES DE CAÇA:

(mensagem eletrônica recebida )

Do: 1o Ten QCOA SJU R2 Ricardo Albuquerque de Oliveira

Ao: Exmo. Sr Presidente da ABRA-PCAssunto: Solicitação de apoio para pesquisa

Exmo. Sr. Presidente da ABRA-PC,

Após ingressar na reserva não-remunerada da FAB (desde o início de 2008), pude retomar um de meus "hobbies", que é a pesquisa e coleção de uniformes e distintivos da FAB, compreendendo diversos períodos históricos. Tal atividade é bem anterior ao meu ingresso no Quadro Complementar da Aeronáutica (no qual totalizei seis anos de serviço ativo, no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, Parnamirim-RN), valendo salientar que o ponto de partida da minha coleção foi a Aviação de Caça, em especial suas “bolachas”, sendo as mais antigas datadas de 1982.

Ao longo do tempo, com a expansão da minha pesquisa, deparei-me com certas dificuldades para mantê-la atualizada, o que depende do contato constante com as Seções de Comunicação Social das diversas unidades aéreas – o que é inviável hoje – ou da colaboração de amigos nelas servindo. Um dos maiores percalços é que nenhuma Unidade Aérea cataloga as “bolachas” atualmente em uso ou já utilizadas. Para agravar o cenário, ocasionalmente são modificados alguns detalhes, o que é mais evidente nos distintivos de Esquadrilhas: quanto a estas não há registro algum.

Considerando que a ABRA-PC é fruto da obstinação de alguns em manter viva a memória e as tradições da nossa Aviação de Caça e levando em conta que as “bolachas” de macacão de voo também são parte dessa história, consulto V. Exa. se é possível a Associação solicitar a cada Unidade de Caça que:

1) Digitalize, mediante fotografia ou escaneamento de alta resolução, a sua respectiva “bolacha” de Esquadrão;

2) Digitalize, pelo mesmo processo, as “bolachas” de Esquadrilha e/ou bolachas individuais (numeradas), em todas as suas variantes de cor e forma, acaso existentes, aí incluídas as de pessoal de voo e de terra;

3) Digitalize suas respectivas “bolachas” de operacionalidade, bem como aquelas referentes aos Torneios, Reuniões, Manobras e afins;

4) Digitalize “bolachas” antigas e não mais em uso, caso ainda disponíveis na Unidade;

5) Informe a ABRA-PC quando for desenvolvido algum distintivo novo, igualmente remetendo sua imagem digitalizada.

Trata-se, como se vê, de medida simples, que não aumenta a carga de trabalho administrativo das Unidades Aéreas de Caça, nem implica em custo adicional, pois o que se pede é apenas a imagem dos distintivos para fins de catalogação e registro. Saliento também que as imagens dos distintivos pertencentes aos membros mais antigos da ABRA-PC também são de grande valia para minha pesquisa. A colaboração individual é tão importante quanto a colaboração institucional. Esperando haver sensibilizado V. Exa. sobre a importância da preservação dos distintivos da Caça para a preservação de seu próprio espírito de corpo, a exemplo do que já é feito em outros países, subscrevome com consideração e apreço.

Respeitosamente,

RICARDO ALBUQUERQUE DE OLIVEIRA – 1o Ten QCOA SJU R2
E-mail: ricardo.ao(arroba)gmail.com
  

6 - PALESTRA DA IIIa FORÇA AÉREA NO CLUBE DE AERONÁUTICA - RJ:

Esquadrão HORUS - logo

T.Cel.Vaux dando palestra

Foi realizada no dia 17 de novembro, na sede do Clube de Aeronáutica do Rio de Janeiro, uma palestra para os associados da ABRA-PC e demais oficiais da reserva sediados na cidade, sobre a implantação e operação da aeronave remotamente pilotada (ARP) na Força Aérea Brasileira.

A palestra foi conduzida pelo comandante da Terceira Força Aérea, Brig. Paulo Érico Santos de Oliveira e pelo comandante do 1o/12o GAv, Esquadrão Horus, Ten Cel Paulo Ricardo Laux, e abrangeu tanto os aspectos conceituais e doutrinários, quanto aqueles propriamente ditos de implantação e operação desse novo vetor. Graças à excelência da palestra e à competência dos oficiais palestrantes passamos a ter uma visão plena de como a FAB está dando esse salto gigantesco em direção ao futuro.

O tema suscitou tanto interesse que o debate previsto de encerrar-se às 17:00h estendeu-se até quase às 18:00h e não foi mais adiante por intervenção do mediador presente.

Ao Brig Paulo Érico e ao Ten. Cel. Laux os nossos mais sinceros agradecimentos; temos orgulho do trabalho que a Força Aérea vem fazendo e certeza de que saberá perceber de que por detrás da mais avançada tecnologia ainda restará o elemento humano como o elo mais importante em todo o processo.

  

 

7 - DEMONSTRATIVO FINANCEIRO RESUMIDO :

      SALDOS EM 31 DE OUTUBRO DE 2011

Conta Corrente (Banco Real)

R$ 11.61241

Fundos ABRA-PC (DI-Supremo)

R$ 17.70510

Sub-total recursos ABRA-PC

R$ 29.31751

      FUNDOS ESPECIAIS (*)

Desenvolv. Cult. da Av. de Caça

R$ 4.99339

Prêmio Pacau

R$ 57.79488

      MÉDIAS DE RECEITAS DE 2011

Média anual

R$ 10.32162

      MÉDIAS DE DESPESAS DE 2011

Custeio

R$ 4.52322

Eventuais

R$ 17.74546

(*) A origem desses recursos deve-se à doação de cem mil reais, feita pelo Brig. Magalhães-Motta à Associação Brasileira de Pilotos de Caça.

 


PARA REFLETIR

Tanto lá quanto cá, onde estão nossos Heróis?

A true WW II Hero: SG Shifty 101 Airborne

'101th Ariborne Division'

Salute!

This requires no comment from me…

“Shifty” By Chuck Yeager

Shifty volunteered for the airborne in WWII and served with Easy Company of the 506th Parachute Infantry Regiment, part of the 101st Airborne Infantry. If you’ve seen Band of Brothers on HBO or the History Channel, you know Shifty. His character appears in all 10 episodes, and Shifty himself is interviewed in several of them. Shifty 'novinho'

I met Shifty in the Philadelphia airport several years ago. I didn’t know who he was at the time. I just saw an elderly gentleman having trouble reading his ticket. I offered to help, assured him that he was at the right gate, and noticed the “Screaming Eagle”, the symbol of the 101st Airborne, on his hat. Making conversation, I asked him if he’d been in the 101st Airborne or if his son was serving. He said quietly that he had been in the 101st. I thanked him for his service, then asked him when he served, and how many jumps he made.

Quietly and humbly, he said “Well, I guess I signed up in 1941 or so, and was in until sometime in 1945”, at which point my heart skipped. At that point, again, very humbly, he said “I made the 5 training jumps at Toccoa, and then jumped into Normandy. Do you know where Normandy is?”At this point my heart stopped. I told him “Yes, I know exactly where Normandy is, and I know what D-Day was.”

At that point he said “I also made a second jump into Holland, into Arnhem.” I was standing with a genuine war hero... and then I realized that it was June, just after the anniversary of D-Day. I asked Shifty if he was on his way back from France, and he said “Yes... And it’s real sad because, these days, so few of the guys are left, and those that are, lots of them can’t make the trip.

Shifty 'veterano'My heart was in my throat and I didn’t know what to say. I helped Shifty get onto the plane and then realized he was back in coach while I was in First Class. I sent the flight attendant back to get him and said that I wanted to switch seats. When Shifty came forward, I got up out of the seat and told him I wanted him to have it, that I’d take his in coach. He said “No, son, you enjoy that seat. Just knowing that there are still some who remember what we did and who still care is enough to make an old man very happy.”

His eyes were filling up as he said it. And mine are brimming up now as I write this. Shifty died on Jan. l7 after fighting cancer. There was no parade.

No big event in Staples Center. No wall-to-wall, back-to-back 24x7 news coverage. No weeping fans on television. And that’s not right! Let’s give Shifty his own memorial service, online, in our own quiet way.

Please forward this email to everyone you know. Especially to the veterans. Rest in peace, Shifty.

Chuck Yeager, Maj. General [ret.]

P.S. I think that it is amazing how the ”media” chooses our “heroes” these days. Michael Jackson & the like!


 

 

Temos 67 visitantes e Nenhum membro online