CANCIONEIRO DA CAÇA

"PIF-PAF"  

O então Tenente Antônio Henrique Alves dos Santos dedilhava ao piano uma versão do "Passarinho do Relógio", falando do Pinguim, símbolo do 2o Esquadrão, que só queria voar, além de outras passagens de tempo do Estágio de Seleção de Piloto de Caça (E.S.P.C.) nos anos de 1946 e 1947.

A partir da metade, a música entrava em rítmo de valsa, assim prosseguindo, para depois terminar no compasso inicial.


 

"PIF-PAF"

Pif-paf, pif-paf, pif-paf
"Primave"
(1) chama, e o Pingüim diz nem te ligo...

Ainda não é hora de aterrar, e o Pingüim só quer voar
e não quer nada contigo.

Pacau de Ouros briga com Pacau de Paus
Pacau de Espadas só dá cavalo de pau
Enquanto a turma lá na Base vai brigando, quá-quá-quá
Pacau de Copas... Ia-ram-Ia-ram, Ia-ram-la-ram...

Quem me ensinou a voar
Foi o avestruz que veio da briga

Quem me ensinou a "estreifar"(2) 
Foi o avestruz que sabe atirar

Mas agora que eu sei...
Eu quero ver yoyô, eu quero ver yayá
Eu quero ver quem vai me segurar
Pif-paf, pif-paf, pif-paf
OK "Primave" já vou aterrar


  Notas explicativas:

(1) Primave = código rádio da Torre de Controle da Base Aérea de Santa Cruz
(2) estreifar = do verbo anglo-saxão "strafe" que significa em inglês da 2a Guerra Mundial, "atirar de uma caça voando à baixa altura", ou em alemão da 1a Guerra, "atacar os soldados ingleses com metralhadora"...

 

 

 

Temos 22 visitantes e Nenhum membro online