CANCIONEIRO DA CAÇA

"DE CONVERSA EM CONVERSA"

Quando os F-8 chegaram, as obras de alongamento da pista de Santa Cruz limitavam o vôo pela poeira que os caminhões-caçamba e as máquinas de terraplenagem produziam. À mesma época, o Dr. Janot Pacheco fazia experiências sobre chuva artificial, que pretendia que "caíssem" sobre Ribeirão das Lajes. Para isso, "criava" enormes CB'S que "desmontavam" sobre SC, limitando mais ainda o vôo na Base.

 Além disso, já se preparava a ida de um Esquadrão para Natal, onde seria dada a instrução de Caça, ainda em F-47, sendo a solução alternativa dar a instrução de caça em Porto Alegre, para voar os "velhos P-40".  

O Ten. Joel Miranda, cogitado para ir para Porto Alegre, preferiu Natal... E criou a letra associando os fatos do momento:


"DE CONVERSA EM CONVERSA"

Oi, de conversa em conversa V. vai matando

Meu gosto de voar

Oi, de palavra em palavra ainda está querendo 

Me espinafrar 

 A Camargo Correia uniu-se com o Janot

Só pra me maltratar

Cada dia que passa é uma TF aí

Que deixei de voar

Viver assim não adianta é melhor juntar

O equipamento

Capricha o escalonamento e vamos embora

Pra Natal

Vivendo dessa maneira, continuar é besteira

Não adianta não

Se a 22 faz poeira, deixa de asneira

Eu quero um avião


 

Temos 13 visitantes e Nenhum membro online